O bom professor.

O bom professor deve primeira mente questionar a presença do aluno, um bom professor não se pode permitir ser ouvido. Pelo menos ser ouvido por almas vazias. Um bom professor deve primeiramente questionar a existência do aluno. Questionar a presença de um ser que sendo ignorante – e por isso estando  lá – escolheu a ele, bom professor, a confiança de com ele aprender. Não posso crer em um professor que não faça isso, Que não queira (ou deseje) no limite a inexistência do aluno. Inexistência essa que pode ser fatal para o professor, mas que para o bom professor já é um facto consumado, dado o facto de que o aluno depois de aprender deixa de ser aluno para ser gente, nunca faltará aluno está certo o leitor. Mas o aluno não é um ignorante comum, é um ignorante especial, daqueles que leva semanas para se fabricar e que provavelmente só se encontra um uma cidadezinha na Finlândia, como quem vai para o fim do mundo mas vira à esquerda. É uma ignorância bem especifica, que só pode ser reconhecida por um especialista, este especialista é um daqueles que esteve anos a conviver com a ignorância, mas nunca deixou de lembrar ser um especialista, Depois de anos convivendo com está ignorância aí sim o tal especialista pode chegar em uma sala de aula e apontar, quem daqueles são os alunos de facto e quais são apenas alunos de direito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s